Política

Ministério da Saúde diz que comprará toda a produção de vacinas do Butantan contra Covid

O Ministério da Saúde informou neste sábado (9) que toda a produção de vacinas contra a Covid-19 produzidas pelo Instituto Butantan, de São Paulo, será comprada com exclusividade pelo governo federal.

De acordo com o ministério, as doses serão incorporadas ao Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra Covid-19.

Na quinta-feira (7), o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, anunciou que a pasta compraria 100 milhões de doses da vacina CoronaVac, desenvolvida em parceria pelo Butantan e pelo laboratório chinês Sinovac. O contrato prevê a entrega de 46 milhões de doses até abril e a opção de compra de mais 54 milhões de doses.

Segundo o ministério, em reunião nesta sexta-feira (8), “representantes do Ministério da Saúde e do Instituto Butantan acertaram que a totalidade das vacinas produzidas pelo laboratório paulista serão adquiridas pelo Governo Federal”.

A pasta afirmou também que os “brasileiros de todo o país receberão a vacina simultaneamente, dentro da logística integrada e tripartite, feita pelo Ministério da Saúde e as Secretarias Estaduais e Municipais de Saúde”.

Nos próximos dias, de acordo com o ministério, haverá uma reunião entre o ministro Pazuello e representantes dos secretários estaduais e municipais de saúde para detalhamento da logística de distribuição e do calendário da campanha de vacinação.

A pasta informou que participaram do encontro da sexta (8), em São Paulo, os assessores especiais do Ministério da Saúde, Zoser Hardmann e Aírton Cascavel; a coordenadora do Programa Nacional de Imunizações (PNI), Francieli Fantinato; o superintendente de São Paulo do Ministério da Saúde, José Carlos Paludeto; além do presidente e da diretora do Instituto Butantan, Dimas Covas e Cíntia Retz, respectivamente. O coordenador do Fórum Nacional de Governadores, Wellington Dias (Piauí) também participou do encontro por videoconferência.

Na nota, o Ministério da Saúde afirmou que as doses da vacina serão distribuídas aos estados em quantidade proporcional à população de cada um e que os estados farão a distribuição do imunizante para os municípios.

A pasta afirmou ainda que a campanha de vacinação deve começar “tão logo os imunizantes recebam autorização da Anvisa — para uso emergencial ou o registro definitivo”, de forma gratuita e universal.

Butantan vai fornecer 46 milhões de doses de vacina até abril

Em São Paulo, o governador João Doria (PSDB) anunciou o início da vacinação no estado no próximo dia 25.

O coordenador-executivo do Centro de Contingência do Coronavírus de São Paulo, João Gabbardo, afirmou que, se o governo federal iniciar a vacinação antes dessa data, o programa estadual de São Paulo será antecipado e seguirá o cronograma nacional.

“Agora, se a resposta do governo for para começar após 25 de janeiro, nós não vamos seguir essa orientação. O estado de São Paulo vai iniciar a vacinação no dia 25”, declarou Gabbardo.

Governo de SP confirma cronograma de vacinação contra Covid com início em 25 de janeiro

Governo de SP confirma cronograma de vacinação contra Covid com início em 25 de janeiro

Na sexta (8), o Instituto Butantan e a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), que produzirá a chamada vacina de Oxford no Brasil, entraram com pedido de uso emergencial na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). O resultado do pedido deve ser divulgado no prazo máximo de dez dias.

De acordo com o Butantan, o pedido de uso emergencial foi para as 6 milhões de doses que chegaram prontas da China. Segundo o instituto, um novo pedido será enviado para as doses envasadas no instituto em São Paulo. A solicitação foi feita durante uma reunião virtual, por causa da pandemia, segundo o Instituto Butantan. A Anvisa diz que já iniciou a triagem da documentação entregue.

A Fiocruz, por sua vez, entregou pedido de uso emergencial para 2 milhões de doses da vacina contra a Covid-19 desenvolvida pelo laboratório AstraZeneca e pela Universidade de Oxford, que devem ser importadas do laboratório Serum, sediado na Índia.

Bolsonaro já rejeitou CoronaVac

A CoronaVac esteve no centro de uma disputa política entre o presidente Jair Bolsonaro e o governador de São Paulo, João Dória (PSDB).

Em outubro, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que o governo federal não iria comprar a CoronaVac e que tinha mandado cancelar um protocolo de intenções firmado entre o ministério e o Butantan.

“O presidente sou eu, não abro mão da minha autoridade. Até porque estaria comprando uma vacina que ninguém está interessado por ela, a não ser nós”, declarou na ocasião.

Um dia depois, Bolsonaro visitou Pazuello, e o ministro afirmou durante transmissão ao vivo em uma rede social do presidente: “Senhores, é simples assim: um manda e o outro obedece. Mas a gente tem um carinho, entendeu?”.

Nesta sexta (8), o presidente Jair Bolsonaro enviou carta ao primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi, pedindo a antecipação “com a possível urgência” do envio para o Brasil das 2 milhões de doses de vacina contra a Covid-19 encomenada pela Fiocruz.

Bolsonaro escreveu que o objetivo do pedido é permitir a “imediata implementação” do programa brasileiro de imunização. Em nota, a Presidência informou que a carta foi enviada “com o intuito de ampliar e agilizar a disponibilização de vacinas confiáveis e eficazes ao Brasil”.

“Para possibilitar a imediata implementação do nosso Programa Nacional de Imunização, muito apreciaria poder contar com os bons ofícios de Vossa Excelência para antecipar o fornecimento ao Brasil, com a possível urgência e sem prejudicar o programa indiano de vacinações, de 2 milhões de doses do imunizante produzido pelo Serum Institute of India”, diz o texto da carta.

VÍDEOS: vacinas contra a Covid-19


Fonte: G1 – Política

Mais

Portal G1

Portal de Notícias da Globo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo

Entrar

Ou com Nome de Usuário

Esqueceu a senha?

Não tem uma conta? Cadastre-se

Esqueceu a senha?

Digite os dados da sua conta e você receberá um link para resetar sua senha.

Seu link para resetar senha está expirado ou é inválido.

Entrar

Política de Privacidade

Adicionar à Coleção

Não Há Coleções

Aqui você vai encontrar todas as coleções que você criou antes.