Região

‘Se não abaixar, podemos fechar a cidade’, diz secretária de Saúde de Brumadinho

Casos de coronavírus vem aumentando desde o fim de 2019, e previsão é que continue assim devido às festas

Começou a valer nesta quinta-feira (7) o decreto da prefeitura de Brumadinho, na região metropolitana de Belo Horizonte, que proíbe o funcionamento de bares, restaurantes, academias e salões de beleza, como forma de controlar a lastração do coronavírus. No entanto, se os indicadores não diminuírem, há possibilidade de se fechar ainda mais serviços, e “trancar a cidade”.

Segundo a secretária de Saúde do município, Lilian Santos, a ocupação dos leitos é o que mais preocupa. “Nós temos um hospital de campanha com 17 leitos clínicos e dois leitos semi-intensivos. Os semi-intensivos estão ocupados, e o clínicos, nós temos 60% de ocupação”, afirmou.

Para ela, restrições no funcionamento do comércio é a melhor solução para reverter o quadro. “Nós temos um decreto aqui na cidade, que nós vamos fechar parcialmente, deixando apenas os serviços essenciais em funcionamento. Porque acreditamos que, com essa medida, tentar, daqui a 15 dias, que o quadro não piore”, disse.

“O lockdown parcial está sendo feito, mas nós precisamos que toda a população faça a sua parte. Se for necessário, se não diminuir os casos nos próximos dias, há uma possibilidade sim de fechar a cidade toda. Risco de faltar leito sempre há, porque nós não temos UTI completa aqui. Temos semi-intensivos”, completou Lilian.

Números

De acordo com a prefeitura, Brumadinho tem 1.720 casos confirmados de Covid-19 e 20 mortes em decorrência da doença.

Conforme a Secretaria Municipal de Saúde, a expectativa é de que as consequências das aglomerações durantes as festas de fim de ano comecem a aparecer nos próximos dias.

“O aumento de casos vem sendo constatado desde o final de novembro, com registro de maior incidência na ultima semana de dezembro, porém, como há o período de incubação do vírus de até 14 dias, acreditamos que o reflexo maior das festividades de final de ano surgirão a partir desta semana”, informou.




Fonte: Fonte: Jornal O Tempo

Mais

Jornal O Tempo

No mercado nacional de jornais impressos desde 1996, diariamente o jornal O TEMPO apresenta Minas, o Brasil e o mundo em uma cobertura de forte compromisso No mercado nacional de jornais impressos desde 1996, diariamente o jornal O TEMPO apresenta Minas, o Brasil e o mundo em uma cobertura de forte compromisso com o interesse do leitor. O periódico é composto por editorias que percorrem os diversos fatos do cotidiano da população, além de um conjunto de cadernos voltados para segmentos como turismo, automóveis, emprego e moda. Esse canal é feito para entrar em contato com você. Conecte-se a gente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo

Entrar

Ou com Nome de Usuário

Esqueceu a senha?

Não tem uma conta? Cadastre-se

Esqueceu a senha?

Digite os dados da sua conta e você receberá um link para resetar sua senha.

Seu link para resetar senha está expirado ou é inválido.

Entrar

Política de Privacidade

Adicionar à Coleção

Não Há Coleções

Aqui você vai encontrar todas as coleções que você criou antes.