Região

Igreja de São Sebastião recebe grande número de fieis, mesmo sem missa

Realização do culto de Páscoa com a presença de público foi convocada pelo pároco do templo, mesmo com a proibição da prefeitura e foi desmarcada nesse sábado (3)

Após a polêmica criada sobre a realização ou não de missa neste Domingo de Páscoa na Igreja de São Sebastião, no bairro Barro Preto, na região Centro-Sul de Belo Horizonte, um grande número de fiéis foram até a entrada do local, buscando saber se haveria ou não missa neste domingo (4). A realização de cultos está suspensa na capital por determinação da prefeitura, como forma de reduzir a contaminação da Covid.

A realização da cerimônia havia sido informada pelo pároco responsável pela paróquia, José Cândido, durante o encerramento da missa de Domingo de Ramos, no último dia 28, transmitida pelo canal do Youtube da igreja e também nas redes sociais da instituição.

Embora parte das pessoas que foram ao local e foram informados do cancelamento da missa fossem embora, muitos ainda entraram na igreja para rezar. A entrada era feita sem que a temperatura corporal fosse aferida e sem a aplicação de álcool em gel.

A reportagem tentou falar com os fiéis que entravam para a igreja, mas eles se recusaram a comentar a situação com a imprensa.  O padre José Cândido também optou por não falar e informou que vai cumprir o mandato da prefeitura e a decisão do Arcebispo de Belo Horizonte, Dom Walmor Oliveira de Azevedo.

A notificação feita pela prefeitura contra a realização da missa estava afixada ao lado de duas das entradas do templo. De acordo com o decreto municipal da PBH: “os cultos, missas e demais atividades religiosas de caráter coletivo estão suspensos. É permitido que os espaços religiosos fiquem abertos, desde que adotadas as medidas de prevenção ao contágio e contenção da propagação da Covid-19, estabelecidas pelas autoridades de saúde”.

A disputa pela abertura da igreja movimentou o fim de semana da Advocacia Geral da União (AGU) e do ministro do Supremo Tribunal Federal, Kassio Nunes Marques. Após o ministro do STF, que foi indicado ao cargo pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido), soltou uma liminar que permite a realização de missas e cultos presenciais.

Igreja de São Sebastião recebe grande número de fieis, mesmo sem missa

O prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil, postou no Twitter que a prefeitura vai seguir a decisão tomada pelo pleno do Supremo. Depois disso a AGU pediu que Kalil fosse intimado a cumprir a decisão de Nunes Marques. A disputa pela abertura da igreja movimentou o fim de semana da Advocacia Geral da União (AGU) e do ministro do Supremo Tribunal Federal, Kassio Nunes Marques.

Após o ministro do STF soltar uma decisão que permite a realização de missas e cultos presenciais, o prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil, postou no Twitter que a prefeitura vai seguir a decisão tomada pelo pleno do Supremo. Com isso a AGU pediu que Kalil fosse intimado a cumprir a decisão de Nunes Marques.

Em tempos de desinformação e pandemia, o jornal O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo mineiro, profissional e de qualidade. Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Continue nos apoiando. Assine O TEMPO.




Fonte: Fonte: Jornal O Tempo

Jornal O Tempo

No mercado nacional de jornais impressos desde 1996, diariamente o jornal O TEMPO apresenta Minas, o Brasil e o mundo em uma cobertura de forte compromisso No mercado nacional de jornais impressos desde 1996, diariamente o jornal O TEMPO apresenta Minas, o Brasil e o mundo em uma cobertura de forte compromisso com o interesse do leitor. O periódico é composto por editorias que percorrem os diversos fatos do cotidiano da população, além de um conjunto de cadernos voltados para segmentos como turismo, automóveis, emprego e moda. Esse canal é feito para entrar em contato com você. Conecte-se a gente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo