Região

Fotos com drone eternizam Muriaé

Cristiano Moreira e André Rangel têm eternizado a cidade

Muriaé tem se destacado pelas lentes de dois fotográfos que se especializaram em fotos com drones e retratam seu cotidiano e suas belezas. Cristiano Moreira e André Rangel têm eternizado a cidade e na edição comemorativa pelo Dia do Muriaeense o jornal A Notícia utilizou as fotos destes dois talentos para ilustrar suas homenagens à cidade e seu povo acolhedor.

Fotografia aérea com drone é um recurso inovador, permitindo a geração de imagens profissionais em alta resolução, com tomadas diferenciadas que não seriam possíveis com uma câmera comum. São captura que exigem sensibilidade e talento diferenciado do artista. Elas apresentam alta resolução e ângulos de enquadramento escolhidos a dedo pelos fotógrafos e que pela facilidade de mobilidade do aparelho, não seria conseguidas de outra forma.

O fotógrafo Cristiano Moreira explicou que trabalha há dois anos com este tipo de foto, porque dá uma captação mais ampla da imagem.  O drone vai onde não podemos ir”, afirma. Ele conta que prefere fotografar a natureza e o nascer o por do sol são suas luzes preferidas. Cristiano ainda deixa uma dica para quem pretende praticar esse tipo de fotografia. “Estude bem o equipamento, tenha gosto pelo hobby ou profissão e procure aprender com quem tem mais experiência.”

O Policial Militar André Luiz Rangel da Silva, 46, fez da fotografia com drones um hobby. Ele é militar há 27 anos, e sempre gostou de fotografias. “Ainda tenho minha Canon a filme funcionando, mas comecei a me interessar por fotografias digitais assim que apareceram os primeiros celulares com câmera. Na época do formato jpeg de 480×320 de resolução e câmeras de 2.0 mp, isso há uns 18 anos. Depois comprei uma câmera digital mais simples e fui trocando até as mais elaboradas e cheguei ao drone. Ao longo destes anos fui adquirindo experiência em fotografias de natureza e noturnas, sendo que investi em lentes específicas e de maior qualidade ótica para compor hoje um set de aproximadamente 15 lentes e 5 câmeras disponíveis para o uso profissional ou para o hobby”, conta.

Rangel conta que, preferiu adquirir experiência em voo e pilotagem de drone para depois migrar para modelos mais complexos. Ele se considera um fotógrafo eclético. “não tenho um nicho específico, curto o exercício de fotografar e se tiver mais dificuldade melhor ainda. Hoje a fotografia de natureza tanto de solo quanto aérea são a minha maior inspiração”, afirma.

Normalmente, os drones são utilizados nas coberturas de shows e eventos, para fotografar grandes obras, em fotos aéreas de 360º e várias outras. Mas, apesar do diferencial alguns cuidados precisam ser tomados. O Equipamento precisa estar cadastrado na ANAC – Agência Nacional de Aviação e o fotógrafo precisa ser registado como piloto de drone. O procedimento é simples, gratuito e online. Também é importante seguir algumas regras e não voar em lugares próximos a aeroportos e fios de alta tensão.


Fonte: Fonte: A Notícia Online Muriaé

A Notícia Online Leopoldina

https://www.facebook.com/a.noticiamuriae

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo