Região

Dados referentes a aspectos sociais, econômicos e de saneamento são analisados em municípios da região geográfica de Juiz de Fora

Um levantamento para analisar dados referentes a aspectos sociais, econômicos, saneamento e de exportações dos 146 municípios que compõem a Região Geográfica Intermediária (RGInt) de Juiz de Fora foi realizado pela Fundação João Pinheiro, segundo informação divulgada na quinta-feira (29) pelo Governo de Minas. (Veja os dados detalhados abaixo)

A análise foi feita em parceria com a Escola do Legislativo da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) e a Associação Mineira de Municípios (AMM), com participação da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) e do Conselho Regional de Economia (Corecon MG).

De acordo com o professor Lourival Batista de Oliveira Júnior da UFJF, o levantamento pode ser usado na tomada de decisões e de políticas públicas.

“Pelo lado do setor público pode ser feita uma série de tomadas de decisão e de políticas públicas. A Fundação João Pinheiro mostra claramente que tipo de trabalho deve ser feito e que rumos devem ser tomados. Espero que os prefeitos possam se valer disso”, afirmou.

Segundo dados do último censo demográfico realizado pelo Instituo Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em 2010, a participação relativa da população da RGInt de Juiz de Fora no total da população do estado era de 11,2% (2,2 milhões de habitantes).

Em termos populacionais, a região era a 2ª entre as 13 RGInt de Minas Gerais, atrás apenas de Belo Horizonte. No entanto, o tamanho da população da RGInt é diretamente relacionado ao número elevado de municípios e não à taxa de crescimento populacional, que não alcançou o patamar de 1% ao ano entre 2000 e 2010.

De acordo com o Índice Mineiro de Responsabilidade social, a situação da RGInt é melhor do que a do estado na dimensão segurança pública, porém pior na dimensão educação. Nas dimensões saúde, saneamento/meio ambiente e cultura/esporte, a situação é próxima à do estado.

“Para ver a situação real, é preciso abrir o indicador. Quando abrimos o IMRS, vemos o comportamento de Minas Gerais replicar o do Brasil, com pobreza mais acima, contudo, quando a gente abre esses indicadores é que vemos a situação de cada localidade”, observou Regina Magalhães, da ALMG.

Na região geográfica de Juiz de Fora, 68% dos municípios possuem entre 90,01% e 100% de cobertura urbana de água. Desses, 41 (28,1%) têm 100% de cobertura.

O atendimento de coleta de esgoto com cobertura acima de 80% chega a 71 municípios, 49% da RGInt, sendo que 48 municípios têm 100% de cobertura desse serviço.

Em relação ao tratamento do esgoto coletado 94 municípios têm atendimento entre 0% e 20% e apenas 2 possuem atendimento acima de 80% de esgoto coletado tratado.

Para a destinação final de resíduos sólidos urbanos na RGInt de Juiz de Fora, 85 dos 146 municípios da região (58,2%) têm destinação ambientalmente correta.

A contribuição da RGInt de Juiz de Fora para o Produto Interno Bruto (PIB) estadual apresentou queda de 7,9% em 2010 para 7,6% em 2013. Já em 2016, o número cresceu para 8,2%, mas decresceu novamente para 7,9% em 2018.

Contribuição para PIB estadual

em % do PIB

Fonte: Governo de Minas

No intervalo entre 2010 e 2018, ocorreram mudanças expressivas na composição setorial da produção e no peso da economia da RGInt de Juiz de Fora para o total estadual. Veja os gráficos abaixo:

Composição setorial da produção e no peso da economia da RGInt de Juiz de Fora para o total estadual

Fonte: Governo de Minas

Composição setorial da produção e no peso da economia da RGInt de Juiz de Fora para o total estadual

Fonte: Governo de Minas

A agropecuária também é uma atividade com participação expressiva da RGInt na economia estadual, veja abaixo:

Composição setorial da produção e no peso da economia da RGInt de Juiz de Fora para o total estadual

Fonte: Governo de Minas

Em valores correntes, o PIB per capita de Minas Gerais evoluiu de R$ 17,9 mil em 2010 para R$ 23,7 mil em 2013. Já em 2016, o valor subiu para R$ 25,9 mil. Em 2018, o valor registrado foi de e R$ 29,2 mil.

Na RGInt de Juiz de Fora, ele o fez de R$ 12,6 mil para, respectivamente, R$ 16,2 mil, R$ 19,0 mil e R$ 20,8 mil.

Em termos proporcionais, o PIB per capita regional correspondia a:

  • 70,4% da média estadual no início do período considerado, em 2010;
  • 68,2% no final da primeira fase, em 2013;
  • 73,3% no final da segunda fase, em 2016;
  • 71,0% no final do período, em 2018.

Em 2020, as exportações estaduais registraram crescimento de 4,3%. Nesse período, as exportações dos municípios que compõem a RGInt de Juiz de Fora tiveram expansão de 4,7%, impulsionadas pelas exportações de café.

A participação das exportações dos municípios da RGInt de Juiz de Fora correspondeu a 3,3% do total, praticamente igual à registrada em 2019 (3,2%). Em média, no período de 2010 a 2020, a participação da RGInt nas exportações foi de aproximadamente 2,7%.

Além do café, que representou 73,8% do total da pauta de exportação da RGInt, as produções de ferro fundido, ferro e aço, carnes e miudezas completam o grupo dos quatro principais produtos exportados. Ferro fundido, ferro e aço perderam participação (-2,3%) e registraram 2,8% do total em 2020, com queda expressiva tanto de valor (-41,6%) quanto de volume (-30,6%).

No caso das carnes e miudezas, registrou-se aumento substancial de valor (41,3%) e de volume (29,2%), superando a participação de ferro fundido, tendo alcançado 3,5% do total.

VÍDEOS: veja tudo sobre a Zona da Mata e Campos das Vertentes


Fonte: G1 – Zona da Mata

Portal G1

Portal de Notícias da Globo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo