Região

Caso Lorenza: Necropsia é concluída, mas liberação do corpo depende da Justiça

De acordo com a assessoria da Polícia Civil, MPMG e TJMG precisam dar aval para que família possa retirar o corpo para proceder com enterro ou cremação

O corpo de Lorenza Maria Silva Pinho, 41, morta na madrugada da última sexta-feira (2), no apartamento em que morava com os cinco filhos e marido, o promotor de Justiça André Luis Garcia de Pinho, 51, principal suspeito de tê-la matado, só será liberado pelo Instituto Médico Legal (IML) para a família mediante autorização do Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) e do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG).

De acordo com a assessoria de imprensa da Polícia Civil, o corpo já passou por todo o processo de necropsia para identificar a causa da morte, mas a liberação depende do aval dos dois órgãos. A reportagem solicitou e aguarda um posicionamento do MPMG e do TJMG.

Após a morte na sexta-feira, o velório de Lorenza Maria chegou a ser marcado para acontecer no sábado (3). No entanto, diante de suspeitas de feminicídio que já cercavam o caso, a Polícia Civil requisitou o corpo que nem chegou a ser velado e ainda estava na funerária e o encaminhou (IML) da capital. 

Segundo uma fonte ouvida pela reportagem de O TEMPO, que pediu anonimato, uma sala foi reservada no Funeral House pelo promotor André Luis Garcia de Pinho. O antigo advogado de defesa dele, Sérgio Leonardo, também chegou a confirmar que a mulher seria velada e cremada porque teria um contrato de cremação fechado com a funerária há quatro anos. 

Em tempos de desinformação e pandemia, o jornal O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo mineiro, profissional e de qualidade. Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Continue nos apoiando. Assine O TEMPO.




Fonte: Fonte: Jornal O Tempo

Jornal O Tempo

No mercado nacional de jornais impressos desde 1996, diariamente o jornal O TEMPO apresenta Minas, o Brasil e o mundo em uma cobertura de forte compromisso No mercado nacional de jornais impressos desde 1996, diariamente o jornal O TEMPO apresenta Minas, o Brasil e o mundo em uma cobertura de forte compromisso com o interesse do leitor. O periódico é composto por editorias que percorrem os diversos fatos do cotidiano da população, além de um conjunto de cadernos voltados para segmentos como turismo, automóveis, emprego e moda. Esse canal é feito para entrar em contato com você. Conecte-se a gente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo