Arte & Cultura

Quem são os brasilienses: os pratos típicos do Distrito Federal, assista à websérie

Criado em 16/04/20 20h56
e atualizado em 17/04/20 10h01

Quem gosta de viajar geralmente também busca os diferentes sabores dos lugares que visita, mas quem chega em Brasília, encontra um prato típico da Capital Federal? Para o professor de gastronomia Marcos Lélis esse prato ainda não foi criado, e talvez nem seja.

Assista abaixo ao vídeo da websérie

Confira outros capítulos da websérie

Marcos explica que, hoje, a característica da mesa de Brasília é reunir os diferentes sabores que existem no Brasil e no mundo.“Brasília contempla tudo que ela quiser, que ela pode contemplar, se ela quiser. De restaurante temático, às festas das embaixadas. Por exemplo, a embaixada da Índia abre as portas e o que, que eles fazem? Comida. Da Espanha, a mesma coisa. Tailândia, a mesma coisa. Os CTGS gaúchos, a mesma coisa. O pequi que floresce aqui, também vira comida”, diz.

A leitura que cada um faz sobre o que é um prato típico também é importante para entender se Brasília já produz uma culinária com identidade própria, segundo Marcos. “Como Brasília está geopoliticamente localizada dentro de Goiás, a gente pode pensar que a cozinha brasiliense é uma cozinha goiana. Também podemos pensar que ela é composta por um tripé nordestino, mineiro e goiano, que são a maioria dos imigrantes que chegaram aqui, mas que têm características distintas”, diz.

A auxiliar administrativa Danielle Paiva, que nasceu no Rio de Janeiro e vive em Brasília desde pequena, acredita que a galinha preparada com o pequi, fruto do Cerrado, já pode ser considerado um prato típico de Brasília. “É de Goiás, mas a gente aderiu”, diz.

Para Marcos, o que torna um prato típico vai além de ser consumido naquele lugar, é uma conjunção de fatores. “Porque que a feijoada é um prato nacional? Por que todo mundo consegue ter acesso a todos esses cortes, diferente do tacacá nortista, que nem todo mundo tem acesso ao tucupi, apesar da mandioca ser plantada no país inteiro”, explica.

Além da disponibilidade dos ingredientes, da receita ser acessível a grande parte da população local e das pessoas consumirem aquele prato, a construção de um prato típico também é um processo histórico e cultural que leva muito tempo. Para Marcos, seis décadas ainda é pouco para observar esse processo. “É injusto comparar com qualquer outro estado do Brasil”, diz.

Com tantas possibilidades para a culinária brasiliense, o surgimento de um prato típico é incerto, mas os ingredientes locais já são amplamente consumidos em Brasília, e esse consumo pode ser um primeiro passo para a consolidação de uma comida regional. “A gente tem uma identidade que precisa se valorizar, se supervalorizar, para depois achar o equilíbrio. A própria cozinha regional brasileira está recebendo uma série de holofotes hoje Brasília deveria também ter isso. Deveria valorizar os produtos que são locais, valorizar, nem que seja, esse tripé de formação gastronômica, para daí criar alguma coisa, que seja nosso”, conclui.

___________________________________________

Equipe de reportagem


Texto e produção: Fabíola Sinimbu 

Imagens: Jorge Monforte

Edição: Edgard Matsuki e Alessandra Esteves

Arte: Bruno Godinho

Finalização: Daniel Dresch

Creative Commons – CC BY 3.0




Fonte: Fonte: Agência Brasil

Mais

Agência Brasil

Agência pública de notícias vinculada à Empresa Brasil de Comunicação (EBC). Informação, cidadania, educação e cultura.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo

Entrar

Ou com Nome de Usuário

Esqueceu a senha?

Não tem uma conta? Cadastre-se

Esqueceu a senha?

Digite os dados da sua conta e você receberá um link para resetar sua senha.

Seu link para resetar senha está expirado ou é inválido.

Entrar

Política de Privacidade

Adicionar à Coleção

Não Há Coleções

Aqui você vai encontrar todas as coleções que você criou antes.